Posted by : StarChan Jan 13, 2017


  Ela respirou fundo, ajeitou a mochila nas costas e encarou o enorme prédio a sua frente. “Viridian Midwich School”, era o que dizia a enorme placa de metal pregada na parede. Já se passara uma semana desde que chegara a Kanto, e agora, iria encarar o primeiro dia de aula numa nova escola e numa nova região. Estava tão ansiosa, mas ao mesmo tempo, receosa. Até que sentiu alguém bater de leve em suas costas.

  -Vai atrapalhar o fluxo das pessoas se ficar no meio do caminho. - riu Priscilla. - Vamos lá, não é tão assustador assim, pense pelo lado positivo, estamos na mesma sala de aula.
  Para entrar na escola, os futuros alunos tinham que fazer uma prova de admissão, a diretora se surpreendera com a inteligência de Charlotte e resolvera colocá-la em uma série acima do normal.
  - É, tem razão. - concordou a de cabelos castanhos.
  - Priscilla! Charlotte! - exclamou uma voz masculina, ao olharem para trás, se depararam com Gary, e Red estava ao seu lado. Os dois se aproximaram das garotas.
  - Preparada para mais uma semana de aula, Priscilla? – provocou Gary.
  - Nem um pouco. Eu estaria mais preparada se fosse enfrentar agora o campeão da Liga com um Metapod. – respondeu a loira.
  - Vai acabar traumatizando Charlotte... – riu Red. – Aliás, seja bem-vinda.
  - Ah, obrigada. – sorriu Charlotte.
  Gary praticamente saltou na frente da novata, dando um leve susto nela, ele pegou a mochila das costas dela.
  - Uma dama não deve carregar tanto peso. – disse ele, meio galanteador. – Venha, princesa, vou te proteger nesse enorme mundo perigoso cheio de dragões e monstros.
  - Isso aqui não é a Idade Média, Gary. – retrucou Red.
  Charlotte riu com a brincadeira, estendeu a mão para Gary e disse:
  - Vai ser uma honra, nobre príncipe.
  O de cabelos espetados olhou para a garota e sorriu, segurando a mão da companheira e guiando-a para dentro da escola, deixando Red e Priscilla para trás, inconformados com a cena.
  - Eu von fingir que não conheço eles... – comentou Red.
  - Eu também... – concordou a loira.

  A sala de aula era um lugar confortável, as carteiras estavam perfeitamente organizadas em fileiras, as paredes eram brancas muito bem pintadas, havia também a mesa da professora e o famoso quadro negro, não tinha o mesmo luxo das antigas salas de aula na escola em Sinnoh, mas Charlotte sentia o mesmo conforto. Foi conduzida por Priscilla a se sentar na fileira encostada na janela e enquanto pegava os materiais da mochila, ficou observando a paisagem que aquele lugar lhe proporcionava, dali, era possível ver algumas casas e o Ginásio Pokémon.
  - Aquele é o famoso Ginásio Pokémon de Viridian. – comentou Priscilla, ao lado da colega. – Vários treinadores tentam enfrentar o líder dele, mas dizem que só poucos conseguem vencer.
  - Quem é o líder? – questionou a morena, prestando atenção nas informações.
  - O nome dele é Giovanni, é um homem misterioso e que quase nunca sai do ginásio, foram poucos que viram seu rosto, ele sempre dá as ordens para seus Pokémon escondido nas sombras. Sua especialidade é o tipo Ground.
  - Entendi... – disse Charlotte, ainda observando o ginásio. Sua atenção foi desviada pela entrada da professora na sala. A professora possuía longos cabelos rosados e enrolados, que estavam enfeitados com uma faixa floral. Era branca pálida e tinha olhos azuis piscina. Usava uma blusa amarela tricotada de gola alta e uma calça colada azul marinho e um scarpin vermelho.


  - Bom dia alunos. – cumprimentou ela. Ao que todos responderam, ela continuou, olhando para um papel em sua mão: - Vejo que temos uma nova aluna. Charlotte Chandler está aí? – ela olhou para a sala, procurando a dona do nome. A dita cuja levantou a mão, tímida. – Aproxime-se e se apresente.
  Charlotte levantou com receio e foi até ao lado da professora, virou-se para a sala de aula e encarou os novos colegas, que observavam ela com certa curiosidade.
  - M-meu nome é Charlotte Ca-, digo, Chandler. Tenho 8 anos e sou natural da região de Sinnoh. – disse a garota, curvando de leve para frente em um gesto de cumprimento. – É um prazer conhece-los.
  - Você é parente da Priscilla? – questionou a professora, ao lado da nova aluna.
  - S-sou prima dela... Estou... Passando uma temporada na casa dela. – informou a mais nova.
  - Espero que você não tenha puxado o jeito malandro da Priscilla. – riu a mulher. – Enfim, bem-vinda a Kanto e a escola. Se precisar de ajuda, sou a professora Mary. – disse, sorrindo.
  Charlotte olhou para a professora e sorriu de leve. Mary tinha um sorriso reconfortante, mas o olhar dela incomodava a garota, por algum motivo. Ela voltou para sua carteira e Mary iniciou a aula.

  A hora do intervalo era o momento propicio para que futuros treinadores exibissem seus Pokémon, batalhas eram proibidas, mas nada impedia os alunos de brincarem com seus companheiros durante a hora do lanche. Crianças de todos os tamanhos brincavam com Pokémon de todos os tipos, Charmander’s e Squirtle’s dominavam o pátio, raramente se via Bulbausaur’s ou outros monstrinhos. Priscilla e Charlotte se sentaram em um banco que ficava perto de um pequeno jardim onde uma enorme árvore fazia sombra. A loira comia o lanche que sua mãe havia preparado enquanto encarava a variedade de Pokémon que dominavam o pátio.
  - Tudo bem, Priscilla? – questionou a morena ao seu lado.
  - T-tudo sim. – ela suspirou. – Eu só fico ansiosa mesmo vendo os outros com seus Pokémon e eu aqui, sem nenhum.
  - O Venonat não é seu?
  - Ah, não. É da minha mãe. – Priscilla suspirou. – Eu queria o meu próprio...
  - Um dia você terá o seu, tenha paciência. – consolou Charlotte, que logo focou seu olhar para a árvore que fazia sombra, seu rosto começou a ficar pálido rapidamente. A loira notou, franziu a testa e perguntou:
  - E-ei, ta tudo bem? Tá ficando pálida.
  Com receio, a outra apontou para a tal árvore, a mais velha seguiu a direção do dedo e olhou para a planta. Dois bizarros olhos que pareciam zangados tomavam conta do tronco de madeira.
  - Ah, oi Gastly... – cumprimentou Priscilla, não impressionada com o fato. Os dois olhos revelaram seu corpo, uma bola de gás roxa e preta com uma enorme boca e duas presas afiadas.


  - Fan...Fan... – murmurou Charlotte, paralisada ao ver o Pokémon.
  - Fantina? Não, esse Pokémon não é dela não, é do- 
  - FANTASMA! – gritou a mais nova, assustando alguns alunos e Pokémon por perto.
  - Calma, calma, Charlotte. O Gastly não é malvado. – riu a loira.
  - Gastly! – uma voz de garoto chamou o Pokémon, logo, o dono da vez apareceu. – A-ah, aí está você. – ele se aproximou. – Não suma de novo.
  O suposto dono do Gastly era um garoto engraçado, não porque fazia piadas boas (na maioria das vezes, só ele ria de suas próprias piadas), mas por causa da sua aparência. Suas roupas eram sempre bem passadas - o anormal para uma criança em fase de crescimento - era levemente gordo, seus cabelos escuros estavam sempre bem penteados e o que chamava mais a atenção eram os óculos fundo de garrafa que sempre usava. 

   - Olá Armin. - cumprimentou Priscilla, aparentemente, os dois eram amigos. - O Gastly fugiu de novo? Precisa cuidar melhor dele.
   - Ah, ha-ha. Fantasmas somem né? - riu o garoto, sem graça.
   - Ah, Charlotte, esse é Armin, ele é da outra classe e é muito inteligente. - apresentou a loira.
   - É um prazer, Armin, sou Charlotte. - sorriu a mais nova
   - O-o prazer é meu. - respondeu Armin, meio tímido. - A-ah, Priscilla, e-eu... ganhei isso no Gashapon pra você... - o menino estendeu a mão e exibiu uma pequena figure de um Charizard.
   - WOW! - exclamou a presenteada, animada. - Armin, é lindo. Eu adoro o Charizard - a loira pegou o presente e ficou admirando ele. - Obrigada, Armin, de verdade. - Priscilla sorriu, e seu sorriso franco fez com que Armin corasse muito.
   - E-eu prometo te dar a Pokédex de Kanto inteira um dia. - confessou o garoto, muito envergonhado. O teor da frase não saiu exatamente como ele querida, mas impressionou Priscilla de qualquer jeito.
   - Você é incrível, Armin. - disse a loira.
   O garoto olhou para ela e sorriu, ainda com as bochechas ardendo.

   Era o fim de intervalo, Charlotte e Priscilla aproveitaram os últimos minutos para passarem no banheiro pra lavar as mãos e o rosto.
   - Ele gosta de você... - começou Charlotte, em frente ao espelho.
   - Quem? - questionou Priscilla, meio surpresa e curiosa com a pergunta.
  - O Armin.
  - Oxe. Nada haver. - a loira ficou meio constrangida. - Somos só bons amigos, figures de Pokémon são nosso gosto em comum...
  - Sei. - a morena encarou a amiga, meio rindo. - Você não consegue me enganar. - disse, secando as mãos com o papel toalha.
   - Para com isso, sua boba. - riu a mais velha, repetindo o gesto. - Mas é notável que você sentiu algo quando viu o Gary.
   - Hã? - Charlotte corou e sentiu suas bochechas arderem. - N-nada haver, eu acabei de conhecer ele. E-ei, volta aqui. - ela seguiu a mais velha, saindo do banheiro. - Priscilla. Espera. E-eu não gosto do Gary!
   A última frase saiu mais alto do que Charlotte queria, mas ela não esperava que Gary ouvisse. O garoto estava passando pelo corredor com Red e parou quando ouviu a frase. A morena olhou para o colega e sentiu-se extremamente envergonhada.
   - A-ah, G-Gary... E-eu... Eu... - a voz falha da garota indicava o nervosismo dela. - N-não é isso que eu quis dizer, digo, não é que eu não goste, digo, e-eu não gosto, m-mas não nesse sentido que você ta pensando... - "droga, não ta funcionando",pensou.
   Gary riu baixinho e abraçou a garota com um dos braços.
   - É claro que você não gosta de mim, você me adora, não precisa ter vergonha de admitir.
   Charlotte sentiu-se aliviada. Gary  suspirou internamente, aquela frase realmente o machucara. Estava tudo bem?
*    *    *    *


   Era noite, passava de meia-noite, a cidade de Viridian adormecia, algumas casas estavam com as luzes apagadas, só era possível ouvir os sons da noite, mas o que chamava a atenção eram as luzes acesas do ginásio da cidade. Uma batalha estava acontecendo aquela hora?
   A moça de cabelos róseos se curvou próxima de uma espécie de trono, que estava coberto pelas sombras e escondia o rosto de um homem.
   - Chefe, mandou me chamar? - questionou ela.
   - Sim. - respondeu ele. - Vou te mandar para uma missão muito importante.
   - Estou honrada, senhor. Pois diga, qual é a tal missão?
   - Preciso que faça uma visitinha ao Laboratório do Professor Oak, em Pallet. - começou ele, acariciando a cabeça do Persian que jazia ao seu lado. - Descobri de alguns contatos que existem papéis interessantes sobre os três pássaros lendários, Zapdos, Moltres e Articuno.
   - V-você disse... Pássaros lendários? - os olhos da mulher brilharam por um momento.
   O sorriso cínico do homem surgiu por entre as sombras, que chegou a arrepiar a moça.
   - Sim, os seus adorados pássaros. - confirmou. - Consegue fazer isso por mim? Confio essa missão a você porque sei que a fará com muito orgulho.
   - Ah, claro que sim, senhor. Agradeço a sua imensa confiança. Prometo não te decepcionar. - Ela curvou-se novamente, animada pela ideia.
   - Muito bem, Mary...
*      *     *      *



   Passara duas semanas desde que Charlotte tinha entrado na nova escola, ela já havia se acostumado com o ritmo e com alguns costumes da nova região, mais alguns dias e poderia se considerar uma legítima Kantoense ou qualquer outro termo utilizado para classificar um morador da região.
   Um dia de aula estava se encerrando, as atividades da tarde já haviam terminado na pequena escola de Viridian. Priscilla e Charlotte estavam terminando de arrumar seus materiais para irem para casa quando Mary passou pela sala das duas, carregando uma pilha de papéis e cadernos.
   - Ah, meninas! – disse a professora, ao ver as duas. – Podem me ajudar aqui? Preciso levar esses papeis até a sala dos professores.
  - Nossa! – exclamou Priscilla, espantada com a situação da professora. – Tudo bem. – as duas colocaram suas respectivas mochilas nas costas e se aproximaram da mais velha.
  Com um sorriso de agradecimento, Mary dividiu a pilha para as três e partiram para a sala dos professores.
  - Podem deixar nessa mesa. – a de cabelos róseos colocou sua pilha em cima de uma mesa que pertencia a ela na sala e as alunas repetiram o processo.
  - O que são todos esses papéis? – questionou Charlotte.
  - A maioria são provas de alunos e tarefas, mas tenho alguns documentos pessoais no meio. – respondeu Mary.
  - “As três aves lendárias: Um mistério para o povo da região de Kanto” – leu Priscilla, observando um dos papéis próximo a ela. – As três aves...?
  - Articuno, Zapdos e Moltres. – completou a professora, pegando o documento que a aluna tinha acabado de ler e abriu em uma das páginas, mostrando um desenho conceitual antigo de três pássaros, um era azul com enormes asas, o segundo tinha penas arrepiadas e era amarelo e preto e o terceiro era amarelo, com chamas em voltas das asas. – Os povos antigos dizem que Lugia criou eles para que cuidassem dos fluxos dos oceanos, Articuno cuidava das correntes marinhas frias, Zapdos das tempestades e Moltres das correntes quentes.

   - Uau! – exclamou a loira, animada com a nova descoberta.
   - Não se sabe muito sobre elas e nem onde elas habitam, apenas os grandes professores e pesquisadores possuem as informações e tudo que eu sei foi divulgado por eles. – explicou Mary. – Meu sonho é conhecer Articuno, Zapdos e Moltres pessoalmente, por isso, pesquiso muito sobre eles e sempre coleto tudo o que divulgam.
   - É um sonho incrível. – comentou Priscilla. – Meu sonho é ser uma Pokémon Master! Então vamos lutar pelos nossos sonhos.
   A professora sorriu com a empolgação da aluna e assentiu, respondendo:
  - Sim, vamos.

  Saíram as duas da escola, conversando sobre a nova descoberta, estavam tão distraídas que nem notaram a aproximação de alguém, até que Charlotte acabou trombando com uma pessoa que passava, assustada, ela olhou para o desconhecido:
  - D-desculpa.
 Era um homem alto que tinha por volta de 30 anos, tinha cabelos curtos e negros muito bem penteados. Tinha um olhar sério com seus olhos pretos e profundos e leves marcas de expressão. Usava um casaco longo preto, combinando com calça e sapatos da mesma cor.
  - Tome cuidado, garotinha. – respondeu o homem, com uma voz pesada, olhando para Charlotte. Por algum motivo, aquele rosto o lembrava de alguém.
  Ao seu lado, duas crianças estavam de mãos dadas, uma garota, perto dos seus 8 anos com cabelos castanhos curtos e lisos, belos olhos azuis, usando um pequeno vestido preto e curto, combinado com botas brancas, o que não combinava muito para uma criança daquela idade. Ao seu lado, havia um garoto menor que ela, com seus 4 anos e curiosos cabelos ruivos cor de fogo, o comprimento do cabelo batia no ombro do pequeno, ele usava uma blusa azul com detalhes em vermelho e uma calça jeans e tênis, seus olhos tinha um tom de cinza claro.
   O silêncio dominava a cena, Charlotte encarava o homem e ele a encarava, enquanto as duas crianças observavam a cena, caladas, sem demonstrar nenhuma emoção. Priscilla foi a primeira a notar a pelúcia de um Pidgeotto nas mãos da garota que acompanhava o homem.
   - Ah! Que Pidgeotto bonito! – exclamou a loira, acabando com o clima pesado.
   A garota de olhos azuis nada respondeu, meio escondendo sua pelúcia, contendo um sorriso por causa do elogio.
   - Acho Pidgeotto muito bonitos, mas nada vai superar a maestria do Pidgeot! – continuou Priscilla, tentando se socializar com a garota.
   - Eu também a- - a voz tímida e baixa da dona da pelúcia foi interrompida pela voz estrondosa do homem:
  - Amy! – ele encarou a pobre garota com um olhar amedrontador, o que fez a espinha da garota gelar. – Vamos embora...
  Em prontidão, quase como automaticamente, a menina assentiu e saiu na frente, puxando o garoto de cabelos vermelhos junto. O homem mais velho encarou Charlotte e Priscilla pela última vez e seguiu as crianças.
  - Eu hein? Acho que ele ta de mal humor. – comentou a loira, observando as três figuras virarem a esquina, partindo para um lugar desconhecido.

*      *      *      *

  Era perto das nove da noite, o céu estava aberto e a lua e as estrelas brilhavam intensamente, a noite na cidade de Pallet Town seria tranquila. Priscilla e Charlotte estavam no quarto, a loira se divertia com seu Game Cube enquanto a morena observava toda aquela tecnologia.
  - WATCH OUT! YOU’RE GONNA CRASH! – exclamou a do vídeo game, imitando um personagem do jogo.
  - Deve ser a décima vez que você vê essa cena desde que eu cheguei aqui... – comentou Charlotte, deitada em sua cama.
  - Sinto que essa cena vai ser relembrada no futuro. – riu a amiga. – Quer jogar?
  - A-ah, pode ser.
  - Então senta aí. Vamos jogar Mario Party. – disse a loira, trocando o jogo. – E prepare-se para testar nossa amizade.
  - Parece tentador... – riu a outra, descendo da cama e se aproximando.
  De repente, um som de sirene alto ecoou pela pequena cidade, o som era tão alto que era possível ouvir do quarto das garotas, que se assustaram com tamanho barulho.
  - O que foi isso? – questionou Charlotte, espantada.
  - É a sirene do laboratório do Professor Oak. – respondeu Priscilla. – Estranho... Muito estranho... – a garota correu até a janela que dava visão para o laboratório e viu as luzes de segurança piscando intensamente. Charlotte parou ao seu lado, observando também. – Alguém invadiu o laboratório... – concluiu a loira.

  Não demorou muito para que a polícia aparecesse, vieram em duas viaturas, alguns policiais invadiram o estabelecimento pela porta da frente enquanto outros foram investigar os fundos, Jolteon e Growlithe ajudavam na busca de pistas. Samuel Oak surgiu rapidamente, vestindo pijama e pantufas, preocupado com seu local de trabalho.
  - Vamos isolar a área! – gritava uma mulher que parecia comandar a operação.
  - Com licença! – Oak se aproximou da mulher.
  - Ah, Professor Oak, não se preocupe, já estamos investigando.
  - PARADA AÍ! – exclamou um policial dentro do laboratório, apontando sua arma para a suposta invasora. O Jolteon ao seu lado eriçou seus pelos amarelos, pronto para atacar.
  A invasora olhou para o policial e riu. A luz da lua atravessou a janela quebrada por ela iluminou a mulher e seus cabelos róseos. Mary carregava em suas mãos importantes papéis e já não usava suas roupas alegres, e sim uma blusa extremamente sexy e uma saia com um rasgo perto da perna, ambos pretos e detalhes em dourado. Uma longa bota amarela com laços completava o look.
  Ao seu lado haviam dois Pokémon, um era bípede e possuía um colar rosa em volta do pescoço, era branco e na cabeça, possuía uma espécie de cabelo fofo e rosa, suas patas inferiores era rosas também e sua língua estava sempre pra fora. Do outro lado, havia uma espécie de raposa amarela, extremamente magra que estava flutuando, seus olhos estavam fechados e ele permanecia sério e concentrado, havia detalhes em marrom na sua cauda e nos seus ombros e peitoral.



  Professor Oak entrou no laboratório e viu os papeis na mão da ladra.
  - Solte esses papéis! Eles são importantes! – exclamou o homem, nervoso com a situação.
  - Obrigada pelas informações, professor, vou usar elas direitinho. – Mary riu alto. – Slurpuff, use Fairy Wind!
  O Pokémon rosa e branco deu um pequeno rodopio, depois estendeu seus braços na direção dos policiais e seus Pokémon e soltou uma espécie de vento cintilante pela boca que atrapalhou a visão e a ação dos adversários, os Pokémon atingidos recuaram.
  Mary olhou para o Pokémon que estava flutuando ao seu lado, pegou Slurpuff no colo e ordenou:
  - Abra, tire-nos daqui. Use Teleport.
  Abra colocou as mãos sobre a cabeça e uma aura rosa cobriu seu corpo, em questão de segundos, ele, Mary e Slurpuff sumiram, num passe de mágica.
  - Droga! – exclamou Professor Oak, preocupado. – Droga! Droga!
  - Sentimos muito, professor. – disso o policial. – O que eram aqueles papéis?
  - As pesquisas sobre os Pássaros Lendários. – respondeu ele, deixando o clima tenso.

  Em algum lugar de CELADON CITY

  Mary deu passos largos pelo corredor, comemorando o assalto bem sucedido, o Abra e a Slurpuff a acompanhavam, ela entrou em uma sala onde Giovanni estava sentado em uma cadeira de couro, esperando atrás de uma mesa enorme cheio de papéis e uma estátua de um Nidoking majestoso para enfeitar.
  - Tudo certo? – questionou ele.
  A de cabelos rosas colocou a pasta com os papéis sobre a mesa do homem, que encarou aquilo como se visse um pote de ouro.
  - Perfeito! – disse, sorrindo, pegando os papéis, analisando cada uma das folhas.
  - Agradeço pelo Abra, foi bem útil. – ela retornou o Pokémon em sua Pokéball e colocou sobre a mesa também. – Aqueles meses se passando por professora naquela escolinha de Viridian foram perfeitos para conhecer a região.
  - Com isso, estamos cada vez mais próximo de encontrar Articuno, Zapdos e Moltres. – disse Giovanni. – Imagine as maravilhas que esse encontro pode causar.
  - Mais um passo para meu sonho. – sorriu Mary, sonhando alto.
  - Sim... “Seu” sonho... – disse o homem, cínico.

{ 8 comments... read them below or Comment }

  1. Eu sabia que essa Mary era uma pilantra! Nunca confiei!

    Olha, vou te contar. A Charlotte tem um faro dos bons para descobrir se a pessoa presta ou não. Bastou uma rápida análise da própria "professora" pra ela perceber que algo estava errado.

    E você então resolveu atirar referências para todo lado também? Estou perplexo com a situação, vamos precisar de reforços para lidar com isso! Primeiro aquelas crianças andando com o Giovanni. Tenho a leve impressão de tê-las visto em algum lugar antes.

    E óbvio, não poderia deixar de citar aquela célebre frase que a Priscilla berrou no quarto. Você sabe que isso mexe comigo, kkkk

    Bom, agora vai saber o que está por vir com o roubo desses documentos importantes. O que a Mary e o Giovanni pretendem com esses pássaros lendários ainda não sabemos, mas deve ser coisa ruim. Certeza! Minha intuição não falha (às vezes)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Nunca fui com a cara dessa piranha HAUSUASHAHSUAHU

      Se Charlotte fosse um Pokémon ela seria do tipo Psíquico, a menina sente todas as merdas que vão acontecer :v

      Abaixa que é tiro! Digo, referência. Menino, o nome do capítulo deveria ser "De frente com a referência". O navegador até buga com tanta referência HAUSHUASHUA
      Sério que você viu as crianças em algum outro lugar? Acho que elas estão dando um rolê em uma região vizinha.

      Fi, planejei essa referência ao SANIC desde o dia que eu comecei a escrever essa fanfic. Gotta go Fast na veia, moleque :')

      A partir de agora, só vai dar merda, pode ter certeza, e sua intuição não vai falhar!
      OBrigada pelo comentário, bro o/

      Até mais :33

      Delete
  2. Um começo comum para escolas e UAU, Giovanni sabe escolher bem suas aliadas,sabemos o que ele fez com a Ariana então (Ruiva próxima a Giovanni ,não acredito que isso não é canon )

    Até na fic o Bulbasaur é o menos escolhido (Pelo menos ele é o mais sádico ,Toxic + Leech Seed + Synthesis )

    Charlotte é uma personagem interessante,mas a Priscilla é mais legal ,eu gosto desse estilo de personagem feminino ,o Red é o Red , o Gary vai entrar na friendzone e o Armin ,ele tem o nome de um dos personagens que eu mais gosto dos animes ,obvio que ele vai conseguir conquistar a Priscila ,e ele tem um Gastly

    Amy e Silver ,e os crossovers com Johto começaram ,vai ser legal ver a união das duas fics

    WATCH OUT! YOU’RE GONNA CRASH! , jogar Mario Party é um nível muito avançado ,quase um Uno

    ReplyDelete
    Replies
    1. Primeiro dia de aula não tem graça, então não há muito o que fazer kk Sabemos o que você vez no verão passado com a Ariana, Giovanni, seu danadinho HUASHAUSHA

      Contra fatos não há argumentos, povo adora Squirtle e Charmander, mas o Bulbasaur é meu favorito ainda <3
      Povo adora a Priscilla, acho porque ela é a personagem que o povo mais se identifica, vou sair pelo mundo e virar uma Pokémon Master. Charlotte tá lá, sendo a Charlotte, mas relaxa, ela ainda vai surpreender todo mundo.
      Gary na friendzone HAUSHUAHUA Façam suas apostas, quem vai ficar com quem no final?
      O Armin é um nome tão aleatório, mas eu fiquei aliviada que você gostou, isso me deixa mais confiante pra seguir sossegada com o nome. E Gastly são vida.
      E tu acha que ele vai conseguir a Priscilla? Adoro ver esses shipps se formando. Isso, shippem mais <3 <3

      Johto e Kanto vão andar de mãos dadas, tu vai ver que louco que vai ser quando Amy, Ethan e Forrest se encontrarem com Charlotte e Priscilla. Aguarde kk

      Acho que nesse ponto, MArio Party perde pra Uno, o que é derrubar seu amigo perto de um +4 HAHSUASHUAUHS

      Obrigada pelo comentário.
      Até a próxima :33

      Delete
  3. São tantas referências,tantas peças de um enorme quebra-cabeça entre Kanto e Jotho e personagens novos e velhos e Mind Blowing

    Yoooo Strelinha-Chan(Strelinha-Chan é um otimo apelido não é mesmo?É Mesmo)

    Acho que não comentei no episódio anterior mas eu comento lá depois quem precisa ser linear?

    Ok vamos por partes :

    Em primeiro lugar Amy e Red se conhecem faz muito tempo e o Silver é o caçula dos três isso é interessante.
    Porque ninguém escolhe o Bulbasaur ele é tão legal o coitado só não cospe fogo,tem uma personalidade marcante,usa oculos,tem dois canhões ao evoluir,vira um dragão bolado mas ele tem aquela florzinha.
    Charllote tendo seu primeiro dia de aula esqueceu até o nome,mas normal,Armin porque o alvo do Bullyng é necessário em todo o lugar mas ele é legal,ele tem um Gastly,Gastly é TOP.
    E também tem o SHIPP,o shipp é real
    ,e não é so um shipp são três: Primin-Gallote-Ved (Vela+Red)
    Giovanni ta vivão por aí,Mary parece ser importante no futuro ou vai morrer assim que deixar de ser util,um desses com certeza.
    Esses professores são tudo burro sabe que tem coisa de valor,sabe que tem equipe vilã do jogo,mas não compra um cofre de segurança, contrata um segurança ,eles estão é esperando ser assaltado mesmo até um ladrão de pidgeot (não tem galinha ;-;)consegue assaltar um deles.
    E tivemos a Charlotte fazendo besteira mas eles são tão fofinhos,tão bonitinhos,tão EXPLOSÃO DE FOFURA.

    Otimo capítulo

    See Ya

    ReplyDelete
    Replies
    1. É tanta referência que o Capitão América já surtou HHASUAHSUAS

      Yooo Dark <3 (Eu adorei o Strelinha-chan, mesmo eu tendo um 1,80 m de altura HAUSHAUSH)

      Dane-se o sistema, tu comenta o capitulo que tu quiser HUSAHUSHUAS

      Bulbasaur tem uma flor ao evoluir,porra. Foda-se que seu dragão cospe fogo, o meu tem um flor estilosa e usa Solar Beam!

      No primeiro dia de aula tu até esquece o que ta fazendo no mundo HAUSHAUSUHAS Amem o Armin, ele precisa de amor, porque ele tem um Gastly, que é o melhor fantasma de Kanto... Ah é... Só tem Gastly, Haunter e Gengar de fantasmas em Kanto.

      OLHA A CHUVA DE SHIPP, SE DELICIEM COM OS SHIPPS QUE VOCÊS DÃO NOME <3 Pô, adorei os nomes do shipp,vou até oficializar num artigo. Mas eu acho que Ved é Cannon HAUSHAUSUHAS

      Tu acha que eu mato meus personagens? Amigo, trabalhei em Sinnoh, o instinto de matar tá na veia HAUSHAUSUH Mentira, MAry ainda será muito útil, não fiquei dias criando essa personagem pra matar ela tão cedo :v

      Quem precisa de alto sistema de segurança quando se tem um gaveta e um alarme?! Dá uma chance pro Oak, ele é velho. Ele é o tipo de pessoa que coloca meias de cores diferentes :v
      Cara, levando pela lógica, o Teogekiss é uma galinha HAUSHUAUHS Togepi é o ovo, Togetic é o pintinho e o Togekiss é galinha.
      Como será um ladrão de Pidgeots? HAUSHAUS
      Charlotte só faz merda, vou matar ela. Mentira. Vou matar ninguém não. Mais fofo que isso, só dois disso HUASHUASU

      Obrigada pelo comentário <3 <3

      Até mais :33

      Delete
  4. Desculpa a demora (de sei lá quantos meses ;-;), mas o grande Sir voltou!

    Bem, hoje na verdade nem vou comentar muito, porque eu ia era comentar mais ou menos o mesmo que os outros, então vou falar pouco.

    Valeu pelo capítulo Star-chan! E acho que o Armim pega a loirinha rapidão.

    Ass: O Ancião Ancestral da Ordem da Qual Fazem Parte

    ReplyDelete
    Replies
    1. Quem pede perdão pela demora sou eu. JESUS CRISTO, A FACULDADE TA ME SUGANDO huashuauhs

      Enfim, obrigada por comparecer e estou feliz que tenha gostado do capítulo.

      Faça suas apostas garoto, vamos ver quem vai levar o grande prêmio HUASHUASUH

      Até mais

      Delete

- Copyright © 2014 Aventuras em Kanto - Escrito por Star-chan (Vanessa Navegante) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -